IPCG
IPCG
O Mais Perigoso dos Falsos Profetas
O Mais Perigoso dos Falsos Profetas

“(…) ninguém que, ouvindo a palavra desta maldição, se abençoe no seu íntimo dizendo: Terei paz, ainda que ande na perversidade do meu coração, para acrescentar à sede a bebedice.” Deuteronômio 29.19

Os falsos profetas não são um inconveniente somente das páginas da Bíblia, mas, assim como a Igreja de Cristo que avança em sua missão após o último capítulo dos registros de Atos dos apóstolos, os problemas enfrentados na Bíblia pelo povo de Deus constituem-se em desafios também em nossos dias.
O profeta, conforme a Bíblia, é aquele que fala em nome de outro. O profeta de Deus, fala em nome de Deus. A partir disso, podemos dizer que são três os falsos profetas que podemos encontrar na Bíblia e em nossos dias.
Primeiro, o profeta que não serve ao verdadeiro Deus, mas a qualquer outra divindade, é um falso profeta, pois há um único Deus verdadeiro. Podemos dizer que esse é mais fácil de evitar. Pois, para aqueles que amam a Deus, não importa nem mesmo se lhes apresentassem grandes sinais, não é de Deus, e isso nos leva a evitá-lo.
O segundo é mais perigoso àqueles que querem andar com Deus. Apresenta-se como sendo enviado por Deus e com a mensagem de Deus, sem que tenha sido enviado por Deus, e sem a mensagem de Deus. Esse profeta pode ser alguém que, até mesmo, é capaz de fazer previsões acertadas de futuro ou sinais sobrenaturais. Em nosso tempo esse tipo de profeta pode ser encontrado em muitos lugares.
A Bíblia nos ensina a evitar esse falso profeta, primeiro, verificando se o que ele diz cumpre-se. Em segundo lugar, se o que ele diz aproxima ou afasta-nos de Deus e Sua Palavra. Caso nos leve para longe de Deus, é falso profeta. Não devemos ouví-lo.
Esses dois, embora perigosos perdem de longe para o terceiro. O terceiro é identificado no texto bíblico acima, entre outros. O mais perigoso dos falsos profetas é o nosso próprio coração, nós mesmos.
Jeremias, em seu tempo, acusa os falsos profetas denunciando sua mensagem de paz quando não havia paz. O texto bíblico acima nos mostra que nós mesmos podemos fazer como esses profetas. Ignorando a Palavra de Deus, dizer para nós mesmos que tudo está bem. Que estamos com Deus. Que está tudo certo! Estamos na paz, na bênção, mesmo em desobediência, seja ela consciente ou inconsciente.
Nós podemos ser o falso profeta mais perigoso, porque os outros dois precisam chegar a nós e nos convencer da falsa direção. Nesse caso, já estamos convencidos! Não há mais essa barreira.
Deus é muito claro ao nos alertar quanto a isso: “ninguém que, ouvindo a palavra desta maldição, se abençoe no seu íntimo dizendo: Terei paz, ainda que ande na perversidade do meu coração”. A Bíblia fala no verso 20 que segue a esse, dizendo: “O SENHOR não lhe quererá perdoar; antes, fumegará a ira do SENHOR e seu zelo sobre tal homem”. A expressão “para acrescentar a sede a bebedice”, também pode ser traduzida como “destruição tanto no tempo de chuvas como no tempo de secas”, e ainda, “a ruína será completa!”
A Bíblia é a Palavra de Deus. Revela a vontade de Deus para nós. Haverá muitas vezes que nosso coração não se alegrará com a responsabilidade que Deus nos entrega. Com a direção que Deus nos dá. Deuteronômio tem uma expressão chave: “se ouvires a voz do SENHOR”. Juízes tem outra: “Cada um fazia o que lhe parecia mais reto.” O livro de Juízes mostra o desastre como consequência de cada um do povo ter paz com a desobediência a Deus. Cuidado com o mais perigoso dos falsos profetas, nosso coração. Ouça a voz do SENHOR! Deus te abençoe.

Rev. Hédin Charles Mendes

IPCG
IPCG
IPCG
ENDEREÇO: Rua Coronel Saldanha, 1917, CEP: 85010-130 - Centro | Guarapuava/PR | Fone 42.3623-5791